Entrevista exclusiva com a banda Prólogo

1 – Vocês devem ouvir muito essa pergunta, mas de onde surgiu esse nome “Prologo” para a banda ?

O nome não tem nenhum significado em especial. Queríamos um nome não muito grande e em português, para representar nosso foco em letras em nossa língua e depois de algumas idéias surgiu o Prólogo, no começo era um pouco estranho, mas foi ficando e a galera começou a curtir.

2- Como vocês se conheceram ?

Bom, pra explicar isso, deixa eu contar a história da banda de maneira rápida.

Consideramos o início da Prólogo, o momento em que iniciamos as gravações do EP Com um só motivo, pois até ali, a banda não possuía objetivos concretos e nem o mesmo nome, então a partir desse momento decidimos que queríamos seguir com um trabalho sério e de qualidade, trocamos o nome e começamos a gravar.
Os únicos restantes das gravações do EP hoje somos eu e o Lucas, na época éramos em apenas quatro e procurávamos outro guitarrista, foi então que alguns amigos nos indicaram o Jonas, já tínhamos contato com ele há algum tempo. Ao final das gravações, ele já estava acompanhando o processo e fazia parte da banda.
Não muito tempo depois das gravações do EP nosso baixista Mateus decidiu deixar a banda por motivos pessoais, como o Jonas havia estudado com o Welton e já tínhamos visto ele participar de algumas bandas, fizemos o convite, ele aceitou, inicialmente sem abandonar seus projetos existentes, pois não nos conhecíamos muito bem, mas com o passar do tempo as coisas mudaram, mais um grande amigo e companheiro de trabalho.
O March foi o último a fazer parte dessa história, entrou para a banda perto da metade de 2011, quando fomos gravar os singles “Amanhecer” e “Espelho“, momento em que nosso vocalista Felipe decidiu sair.
Um fato curioso sobre nossos integrantes, é que sempre da certo com a primeira pessoa que pensamos. Quando estávamos à procura de um integrante, os primeiros que nos passaram pela cabeça são os que estão conosco hoje, mesmo não sendo os primeiros a serem chamados, fizemos alguns testes com outros, mas não deu muito certo.

3- Quem normalmente compõe as músicas ? E qual o processo de composição de vocês ?

Em todas as músicas que temos a composição se iniciou pelas guitarras, eu (Felipe) e o Jonas sempre gravamos alguma coisa e mandamos pro pessoal, algumas vezes, com o Lucas junto, já colocamos algumas idéias de bateria. Depois, o pessoal vai ouvindo e dando idéias de alterações, todo mundo palpita em tudo. Com o instrumental pronto, iniciamos a parte dos vocais, as últimas letras foram escritas pelo Welton, e nas melodias, todo mundo trabalha junto também.

4- Pensando em novos projetos ?

Sempre, já estamos em fase de pré-produção do nosso full album, e também estamos com um clipe engatilhado, logo logo vai rolar muitas novidades na area.

5- Qual o hobby de cada um fora da banda ?

Nem sei como responder isso, haha, quando não estamos trabalhando, estamos tocando, quase todos tem um emprego além da banda. Nas horas vagas mesmo cada um estuda e vai em busca de algum conhecimento pra se manter em evolução à sua maneira, eu (Felipe) por exemplo, passo bastante tempo no YouTube descobrindo como as outras pessoas fazem as coisas e aprendendo mais sobre tudo que é relacionado à música.

6- O que vocês tem ouvido de bandas brasileiras e “gringas” esses últimos tempos ?

A gente escuta bastante coisa diferente, eu (Marchioro) no momento estou ouvindo bastante o ultimo álbum do The Ghost Inside, e nunca deixo de ouvir bandas como Parkway Drive, Terror, Circa Survive e por ai vai. Agora falando de bandas nacionais, temos Rancore, Project46, Ponto Nulo no Céu, Scalene, Criolo… viish, se ficar falando uma por uma vai longe ahahaha

7- Com quem vocês sonham em algum dia dividir o palco ?

Creio que essa é uma pergunta um pouco pessoal, como somos uma banda nos gostos se diversificam muito, cada um emprega na banda oque gosta, sempre tentando agradar a todos de modo geral, e como sabemos a cena tem inúmeras ramificações, e consecutivamente temos bandas favoritos diferentes, por esse mesmo termo não há uma banda em especial que gostaríamos de dividir o palco… e sim várias! Creio que nosso sonho seria tocar em um Warped Tour, dividindo assim o palco com inúmeras bandas que nos influenciam, que admiramos e que iriamos ao show sem exitar.

8- Gostaria que vocês contassem como é a guerra do dia – a – dia do mundo Underground do rock brasileiro ? E hoje só se sustentam com shows ou ainda acreditam no poder dos CD’s ?

Isso com certeza é um assunto delicado, creio que se falta muito quando o tema é bandas, indiferente de estilo, raramente se tem algum apoio, e quando ele é realmente mais pesado, ou fora dos padrões “comuns” da sociedade, aquela velha história de torcer o nariz acontece, não creio que seja a falta de público, por que se tem inúmeros festivais de porte enormes no país, não precisamos nem citar quais, certo? Creio que o que faça o “underground” uma guerra dia-a-dia é a falta de apoio às bandas, a falta de espaço, a falta de festivais públicos, em parques, praças, apoio de prefeituras, de mídias, seja ela TV, Rádio ou qualquer outro, por que acredito que se as pessoas conhecerem bandas fazendo ótimos trampos pelo país a fora, que as vezes inclusive é melhor que muitas nacionais famosas, e até “gringas” que se tem por ae, elas vão apoiá-las e valorizar o que tem de bom no país.
Conseguir se sustentar com shows, no Underground? Raramente há apoio como se foi dito anteriormente, raramente quando um produtor chama uma banda pra tocar, ele oferece transporte + alimentação, (e muitas vezes nada) e esquece que toda a banda gasta com instrumentos, amplificadores, pedais, cordas, ensaios, e o mais caro, a gravação, ou seja, se colocar tudo na ponta do lápis, tem até prejuízo, e pode ter certeza, que quem está no underground é por que tem amor ao que faz, somente bandas com grandes nomes na cena conseguem viver de shows.
A venda de Cd’s camisetas e adesivos é essencial para banda, ela basicamente consegue se manter em pé a partir da venda dos mesmos, então sempre que for ao um show, gostar de uma banda, apoie.
De uma maneira mais ampla, vá aos shows, compre o Merch e apoie as bandas, entenderam?

9- Quais bandas vocês tem mais afinidades ?

Bom, a banda que temos um contato mais constante é a Ponto Nulo no Céu, já tocamos várias vezes juntos, e também tem o fato de serem de Santa Catarina, somos vizinhos ahahah. Mas também somos amigos de outras bandas da cena como Project46, Anchor e Bayside Kings.

10- E para fechar essa entrevista gostaria que deixassem um recado aos nosso leitores.

O recado que temos a deixar para as pessoas é algo que sempre tentamos passar através de nossas músicas, acreditar que devemos sempre lutar para pelo menos tentar alcançar nossos sonhos, se reerguer sempre após um novo desafio, que mesmo que as chances sejam de apenas 1%, depositar sua esperança nisso, muitos foram os vencedores que conseguiram chegar onde chegaram acreditando em seus sonhos, aprendendo com seus erros e sobre tudo, colocando a humildade, o repeito e a união em primeiro lugar. No começo do ano ganhamos a oportunidade de tocar no Planeta Atlântida, que é o maior festival de Santa Catarina, era um sonho que nós mesmo como banda não acreditávamos que conquistaríamos através do tipo de som que apresentamos para as pessoas, se inscrevemos no último dia, fomos selecionados entre 60 bandas para ir para a segunda etapa, que era uma audição com mais 10 bandas, onde destas 10 apenas 3 chegariam à terceira e última etapa, tinha inúmeras bandas de qualidade, a maioria delas “pop” e mesmo com tudo isso, chegamos à terceira etapa com mais 2 bandas, onde a mesma etapa seria decidida por votação popular, e muitas pessoas falaram para nós que não ganharíamos pois não era algo “comum” e “suave” para as pessoas escutarem, e bom, nós ganhamos! Nadamos contra toda uma maré, contra todo um “senso comum”, não desistimos de nossos sonhos, e o recado deixamos para vocês é este: Acredite sempre em seus sonhos, corra atrás do que almeja, sempre colocando a humildade e o respeito acima de tudo, não desista mesmo quando todos disserem para vocês que vocês nunca conquistarão o que almejam.

Prólogo – Amanhecer “Ficar de pé mais uma vez, aprender que os fortes levantam pra engrandecer, e um sonho que insiste em fazer, mais uma vez cair e não desistir de gritar

Facebook : Prologo Music
Twitter : @prologomusic

Um comentário sobre “Entrevista exclusiva com a banda Prólogo

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s