Galeria

Virada Cultural 2012: Confira a programação do palco Júlio Prestes

A oitava edição da Virada Cultural será realizada nos dias 05 e 06 de maio em São Paulo. A programação musical do evento conta com cerca de 900 atrações.

O Palco Júlio Prestes contará com atrações do afrobeat e highlife da Nigéria e Gana à tradição musical africana no Brasil e países caribenhos, como a Jamaica, o Palco Júlio Prestes traz a emergência da raiz negra na cena musical paulistana de hoje.

Confira a programação completa do Palco Praça Júlio Prestes:

18h00 Ray Lema (Congo) e Orquestra Jazz Sinfônica

Reencontro entre o músico congolês Ray Lema e a Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo, mostrando ao público brasileiro, pela primeira vez, o resultado do CD que gravaram juntos e só lançado na Europa. Orquestra singular por sua formação sinfônica integrada por uma big-band de jazz, a Jazz Sinfônica explora domínios musicais pouco
conhecidos, o que lhe confere o papel de criadora de uma nova estética sinfônica brasileira, reunindo o popular e o erudito.

Ray Lema, nascido no Congo, é pianista, guitarrista, cantor e compositor, e considerado um dos expoentes máximos da música africana. Neste concerto, as cantoras Tatiana Parra e Juliana Amaral se juntarão à Jazz Sinfônica.

20h30 Ebo Taylor (Gana)

O guitarrista Ebo Taylor é uma figura histórica do highlife, ritmo de Gana, no Oeste da África. Baseado nas guitarras e nos metais, o highlife surgiu no início do século XX e se tornou um dos estilos fundadores da música africana moderna, tendo inspirado, por exemplo, a rebeldia orquestral do afrobeat.

Nascido em1935, numa família de pescadores, interessou-se muito cedo pela guitarra. Em 1962, ganhou uma bolsa para estudar em Londres, onde conheceu o lendário Fela Kuti, pioneiro do afrobeat, com quem manteve uma relação de amizade e mútua influência. De volta ao Gana, em 1965, afirmou-se como um compositor, arranjador, solista e diretor musical de referência no seu país. Com a Afrobeat Academy, uma das melhores orquestras de afrobeat do mundo, gravou em 2010 o disco “Love and Death”.

00h00 Tony Allen (Nigéria)

Um dos magos das baquetas do Afrobeat, o nigeriano Tony Allen era baterista, e também uma espécie de maestro-arranjador, da banda de Fela Kuti. Definido por Brian Eno como “o maior baterista de todos os tempos”, Allen começou a tocar nos anos 60 sob influência dos bateristas de jazz americanos Art Blakey e Max Roach. Com o tempo, foi seu estilo que virou influência para Randy Weston, Groove Armada, Air, Charlotte Gainsbourg, Manu Dibango e Grace Jones, entre muitos outros.

02h30 Seun Kuti & Egypt 80 (Nigéria)

Seun vem ao Brasil acompanhado da banda Egypt 80, que durante muitos anos acompanhou Fela Kuti. O filho mais novo, Seun Kuti, afirma que não se importa de estar na sombra da figura paterna e talvez por isso mesmo tenha escolhido apresentar-se ao vivo e fazer a sua própria música em conjunto como grupo do seu pai, o Egypt 80.

Atualmente, Seun é o mais fiel seguidor do pai, não só da sua ideologia política, mas também da sua vertente musica. Seun possui dois álbuns gravados coma banda Egypt 80. Nesta turnê, Kuti apresenta seu último álbum, produzido por Brian Eno, “From Africa with Fury: Rise”. O disco dá continuidade ao trabalho lançado em 2008, “Many Things”, que foi considerado o afrobeat mais próximo do som de Fela produzido nos últimos anos.

05h00 Bixiga 70

A big-band Bixiga 70 nasceu da junção de dez músicos conhecidos da cena paulistana que têm em com trabalhos desenvolvidos no estúdio Traquitana, localizado no número 70 da Rua Treze de Maio, no coração boêmio do centro de São Paulo.

Considerado por muitos o berço do samba paulistano, o bairro do Bixiga também hospeda e alimenta a imaginação desses dez músicos que buscam estreitar laços entre passado e futuro por meio de uma leitura da música cosmopolita de países como Gana e Nigéria, dos tambores dos terreiros e do samba, da música malinké e de uma atitude despretensiosa e sem limites para o improviso e a dança.

Apresentando composições instrumentais autorais com elementos das músicas brasileira, latina e africana, banda lançou seu primeiro disco em 2011, com co-produção de Victor Rice.

08h00 Katchafire (Nova Zelândia)

Completando 15 anos de estrada, Katchafire nasceu como um tributo a Bob Marley, sendo o nome da banda, um neologismo do famoso álbum de Bob Marley and TheWailers, Catch a Fire.

Formada por indígenas (maoris), é considerada uma das bandas mais importantes da Nova Zelândia. Como passar do tempo, começou a ter composições próprias, conquistando, além de regueiros, muitos surfistas que apreciam o seu som.

10h30 Lazzo Matumbi

Lazzo Matumbi, conhecido como a voz da Bahia, começou a carreira em1981 como atração do Ilê Aiyê e arrastou multidões de baianos e turistas seduzidos pela sua forma de cantar com a alma, dotada de swing, tal qual os cantores americanos de blues. Sua trajetória demais de 30 anos de carreira funde poesia e lirismo em sua discografia de sete trabalhos, que incluem sucessos como “Alegria da Cidade”, “Me Abraça e Me Beija” e “Do jeito que seu Nego Gosta”.

13h00 Toots and the Maytals (Jamaica)

Toots and the Maytals é uma banda formada na Jamaica e considerada uma das mais emblemáticas bandas de ska e reggae. Seu som mistura de forma original o gospel, ska, soul, reggae e rock. Seu maior clássico é a canção “54-46 Was My Number”, que serviu de trilha-sonora para o Filme skinhead “This Is England”, do cineasta Shane Meadows.

15h30 The Abyssinians (Jamaica)

The Abyssinians é uma banda jamaicana de reggae fundada em 1968 por Donald Manning, Bernard Collins e Linford Manning. O nome do grupo é originário da Etiópia, cujo nome antigo era Abíssinia. Em 1971, lançaram um dos primeiros hinos Rastafari, “Satta Massagana”,música que foi cantada em igrejas na Jamaica e se tornou uma das mais populares músicas de reggae da história.

18h00 Gilberto Gil

Um dos responsáveis pela criação do Tropicalismo, Gilberto Gil atua ativamente no cenário musical brasileiro desde a década de 60, quando alcançou, ao lado dos Mutantes, o segundo lugar no III Festival da Música Popular Brasileira, realizado pela TV Record, coma canção Domingo no Parque.

Desde então, tem sido um dos principais nomes da MPB, tendo gravado mais de 40 discos e realizado parcerias com diversos músicos brasileiros e estrangeiros. Ao longo de sua carreira, tem transitado pelos mais variados estilos musicais, mesclando-os aos ritmos nordestinos, para onde remete sua origem.

05 e 06/05/2012 – São Paulo/SP
Praça Júlio Prestes – Centro
Horário: das 18h00 às 18h00
Informações: http://www.viradacultural.org
Classificação livre

Posted : Território da Música

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s