Megadeth: “tínhamos atitude punk com um pedaço de metal”

Tom Murphy, do Denver Westword conduziu uma entrevista recente com o baixista do MEGADETH, David Ellefson. Alguns trechos da conversa seguem abaixo.

Você falou bastante sobre o filme “The Decline of Western Civilization Part II: The Metal Years”. E você não se envergonhou ao contrário de alguns outros artistas. Como você fez perte disso e como foi trabalhar com a diretora Penelope Spheeris neste filme?

Ellefson: Penelope realmente gostou de nós, ela adorava Dave Mustaine. Ela realmente gostou de Dave, de seu jeito cru, nervoso, uma espécie não refinada – são qualidades reais que ela gostou no estilo de Dave. Do mesmo jeito que ela era. Ela é desse tipo de cineasta não refinada. É por isso que ela gostava de punk mas fazia filmes de rock and roll. Não éramos brilhantes, nem chamávamos a atenção, éramos apenas uma banda de rock ‘n’ roll. Éramos basicamente uma banda punk e metal, que se tornou thrash. Tínhamos atitude punk com um bom pedaço de metal. Nós fizemos “No More Mr. Nice Guy” antes de “In My Darkest Hour” e do filme além de outras coisas. Nós tivemos uma experiência agradável com ela.

Você escreveu o livro “Making Music Your Business” há alguns anos atrás. Por que você se sentiu obrigado a escrever esse livro e se você tivesse que escrever uma atualização para ele, o que você poderia acrescentar no que aprendeu desde 1997?

Ellefson: Eu estava lendo diferentes tipos de livros por volta desse período. Vários sobre desenvolvimento pessoal e crescimento pessoal. Nós estávamos gravando o “Youthanasia” então fizemos uma turnê. Foi neste tempo que escrevi o livro. E acabou virando algo que me fez pensar, “Eu sou abençoado por ter uma carreira muito boa até agora”. Foi uma forma de dar algo de volta para os nossos fãs. Especialmente aos músicos, assim como nós. Você não aprende apenas indo à escola. O Caminho e a carreira de cada um são diferentes. Mas há tanta coisa no ramo que você descobre por conta própria e eu pensei que seria uma forma legal de retribuir, e este foi o meu motivo. Quanto ao livro propriamente dito, eu fui convidado por vários anos a escrever um seguimento. Então o que eu fiz foi iniciar a David Ellefson’s Rock Shop no YouTube.

Quando você voltou para o Megadeth, o que você e Mustaine disseram um ao outro ao selar o acordo e serem capazes de trabalharem juntos novamente de uma maneira produtiva?

Ellefson: Nós tínhamos nos falado várias vezes ao longo dos anos. Não eramos dois estranhos. Nos falamos no telefone e Dave disse, “Olha, este é o lugar onde a banda está hoje e isso é basicamente o que estamos fazendo para que ela funcione”. Eu disse, “Sabe de uma coisa? Parece bom”. Porque, honestamente eu estava me sentindo tipo: “Vamos ficar juntos e ver se isso funciona”. Ele disse: “Eu adoraria ter você aqui se você quizer”. E eu disse: “Bem, eu adoraria”. Foi isso. Ensaiamos, foi ótimo e ficou bem feito. Foi muito simples, demourou o tempo que foi preciso, mas funcionou. A partir daí dissemos um para o outro, “Vamos fechar a porta do passado, vamos apenas manter nossos olhos no futuro e vamos seguir em frente”. E isso é o que temos feito desde então.

Fonte desta matéria (em inglês): blogs.westword.com

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s